Figuras de Linguagem

Uma palavra sempre trás consigo dois significados: O aspecto conceitual objetivo, e a idéia que ela transmite.

Uma mesma palavra pode ser usada para atender diversos significados (polissemia): A palavra “manga” pode ser a fruta ou a parte de uma camisa. “Mangueira” pode ser o tubo de borracha ou a árvore frutífera.

O significado das palavras, portanto, é utilizado para expressar as idéias do escritor. As figuras de linguagem constituem um recurso para atribuir clareza ao texto, bem como para valorizá-lo, através da estética.

 

Figuras de Palavras

Denotação           palavra usada em seu sentido real (Ganhei um par de meias de algodão)

Conotação           Linguagem figurada e subjetiva… tem um sentido implícito, mais baseado na idéia do que na significação da palavra.

Comparação       Aproximação de dois termos ou sentenças através de conectivos. (Ela é mais feia que briga de foice no escuro //, sua pele é delicada como uma flor)

Metáfora               Substituição de um termo por outro, para atribuir as características de um, no outro. A metáfora tem a função de atribuir ênfase ou sentido à mensagem. É uma comparação indireta, que associa idéias semelhantes. (O político brasileiro é uma raposa que cuida do galinheiro)

Metonímia            Emprego de um termo no lugar de outro, com alguma afinidade em relação ao sentido.

Efeito pela causa          Sócrates bebeu a morte (bebeu veneno)

Singular pelo plural        O eleitor aceita tudo (os eleitores aceitam tudo)

Sinédoque           Substituição de termos que aumentem ou diminuam o sentido habitual para atribuir ênfase à frase. (A cidade inteira estava no evento)

Catacrese            Figura de linguagem que utiliza uma expressão que não descreve a mensagem com precisão, mas é adotada por não haver opção melhor. Trata-se de um tipo especial de metáfora, que já foi incorporada no dia a dia das pessoas. (cabeça de repolho, Folha do livro, dente de alho, perna da mesa, braço do sofá)

Sinestesia            Termo de orígem grega “syn” que significa junção e “aisthesis”, que significa percepção, Esta figura de estilo explora a percepção mais de uma sensação de uma só vez.

Assonância          Repetição de vogais em uma frase. Nos versos, funciona como complemento melódico. (Ana de Amsterdm, Chico Buarque)

Antonomásia       Designação da pessoa por uma qualidade que o distingue (Castro Alves, o Poeta dos escravos, Pelé)

Alegoria               Expressa uma situação por meio de outra que intensifique o seu significado. (A vida é uma ópera, é uma grande ópera. O tenor e o barítono lutam pelo soprano)

Figuras de Pensamento

Antítese                Aproximação de termos opostos ou conflitantes. – Caetano Veloso, em sua música “O quereres” fez uso da licença poética para criar seu próprio conceito de opostos (Onde queres revólver sou coqueiro, onde queres dinheiro sou paixão)

Apóstrofe             Figura utilizada para se referir a uma pessoa ou coisa que não está presente. (Ó mar salgado, quanto do teu sal são lágrimas de Portugal?)

Paradoxo             (Oxímoro) Termos opostos em um único pensamento, ou quando se trata de duas situações mutuamente exclusivas, ou seja, que não podem ocorrer ao mesmo tempo. O paradoxo contraria a opinião previamente admitida pelo senso comum. (Eu sou um moço velho – Roberto Carlos).  O Paradoxo do Mentiroso é um outro bom exemplo: Epiménides era um Cretense que afirmava que todos os cretenses eram mentirosos. Se a afirmação fosse verdadeira, isso incluia ele próprio, portanto, tornaria a afirmação falsa.

Eufemismo          Recurso utilizado para “suavizar” ou “atenuar” uma idéia desagradável. (Quando a indesejada da gente chegar // faltou com a verdade)

Gradação             Exposição das idéias de forma crescente ou decrescente (Jânio Quadros conquistou sua cidade, seu estado, o País)

Hipérbole             Exagero intencional, para tornar a idéia mais expressiva. (Estou morrendo de sede // João é louco por feijoada)

Ironia                     Recurso de entonação ou contradição de termos, usado para sugerir uma idéia oposta ao que se pensa de fato. (Moça linda, bem tratada, três séculos de família, burra como uma porta: um amor! – Mário de Andrade // Deputados são inteligentíssimos: nem sabem escrever direito)

Prosopopéia       Figura de linguagem que atribui características humanas em seres inanimados (a rosa triste que vivia fechada se abriu – Chico Buarque)

Perífrase              Ato de referir-se a alguém ou algo, através de uma característica que o celebrizou. (O País do Futebol quase fica fora da copa do mundo em 1994)

Figuras de Sintaxe

Assíndeto             Omissão dos conectivos entre elementos coordenados de um texto. (Usou a cópia da chave que lhe fora dada em confiança, roubou tudo o que podia, sumiu)

Polissíndeto         Repetição sistemática da conjunção coordenativa (Trabalha, e teima, e sofre, e lima, e sua – Olavo Bilac)

Elipse                   Omissão de um termo que fica notadamente subentendido no texto. (Risco de vida. – Risco de perder a vida)

Zeugma                Omissão de um termo já empregado anteriormente (Ele bebe água, eu cerveja è Ele bebe água, eu bebo cerveja)

Pleonasmo          Repetição de um termo, para reforçar seu significado. Se for intencional, pode ser um recurso de linguagem. Se for involuntário, pode ser um vício.

Outras figuras de Sintaxe:

Anáfora, Anástrofe, Hipérbato, Sínquise, Hipálage, Anacoluto, Silepse,

 

Figuras de Harmonia

Aliteração

Assonância

Paronomásia       Uso de palavras parônimas, com som parecido mas de significado diferente, com finalidades estéticas e de retórica. (Quem casa quer casa)

Onomatopéia      Ocorre com palavras que imitam sons ou ruídos (- O leão disse assim:GRRRRRRRRRRRRRRRRRRRR)